Mensagens

A mostrar mensagens de Janeiro, 2017

Alguns peixes comunicam entre si através da urina

Imagem
A comunicação de alguns animais surge-nos de forma bastante evidente: os gatos miam, os cães ladram e até os pássaros cantam. Outros, porém, não dão sinais tão óbvios, como os peixes.

A comunicação de alguns animais surge-nos de forma bastante evidente: os gatos miam, os cães ladram e até os pássaros cantam. Outros, porém, não dão sinais tão óbvios, como os peixes. Investigadores descobriram agora que algumas espécies comunicam entre si através da urina, enviando sinais químicos para os seus rivais durante momentos agressivos. O estudo foi publicado pela revista Science. Para efectuar a experiência, os investigadores colocaram peixes grandes e peixes pequenos em dois aquários separados por uma divisão. Metade dessa divisão tinha furos e permitia que a água fluísse, a outra metade tinha uma barreira sólida. De seguida, os cientistas injectaram num dos peixes um corante violeta que transformava a urina em azul brilhante, como descreve a Science. Quando os peixes se veriam uns aos outros, …

Em 2050, pode haver no mar mais plástico do que peixe

Imagem
Novo estudo prevê que dentro de 33 anos haja 937 toneladas de resíduos de plástico nos oceanos.
Se recolhêssemos todo o plástico nos oceanos e o pesássemos, o seu peso seria 25 vezes superior ao da Grande Pirâmide de Gizé.
Há atualmente cerca de 165 toneladas de plástico nos oceanos, número que tende a aumentar de ano para ano. Em 2050, haverá no mar mais plástico do que peixe, prevê um novo estudo da fundação Ellen MacArthur em parceria com o Fórum Económico Mundial. Enquanto todos os peixes somariam 895 toneladas, os detritos não degradáveis de plástico vão superar os 937 toneladas. Apenas 14% do plástico pode ser reciclado. O que não o é vai parar a lixeiras e aterros a partir de onde pode ir parar ao oceano, recorda este relatório, citado pelo Internacional Business Times. Fonte: Notícias ao Minuto

Porto de Sines cresce 16% e bate recordes

Imagem
O porto de Sines encerrou 2016 com um recorde de 51,2 milhões de toneladas movimentadas, mais 16,4%, ou 7,2 milhões de toneladas, que no ano anterior.Para o novo recorde absoluto foi determinante o comportamento da carga geral, entenda-se carga contentorizada. Cresceu 25% e atingiu os 20,7 milhões de toneladas. O movimento de contentores no Terminal XXI avançou 13,6% e superou pela primeira vez os 1,5 milhões de TEU: foram precisamente 1 513 083. Em forte alta esteve também a movimentação de granéis líquidos: subiu 14,3% e chegou aos 24,6 milhões de toneladas. A impedir um crescimento ainda mais pronunciado de Sines, a movimentação de granéis sólidos praticamente estagnou cerca dos 5,9 milhões de toneladas (mais 0,2% em termos homólogos); penalizada pelas menores necessidades de carvão para a produção de energia eléctrica. Ao longo de 2016, o porto de Sines foi demandado por 2 422 navios.Mais navios (mais 235, ou 10,7% em termos homólogos)  e de maiores dimensões, com a tonelagem média a…

Açores participam em estudo europeu sobre utilização do mar

Imagem
A Fundação Gaspar Frutuoso vai participar no projecto Usos Múltiplos nos Mares Europeus (MUSES), que visa analisar como o oceano está a ser utilizado e dotar a Comissão Europeia de informação para tomar decisões.

“Este projecto pretende informar a política europeia sobre quais são os obstáculos ou as formas de facilitar o multiuso do espaço marítimo”, declarou a docente da Universidade dos Açores Helena Calado. A investigadora afirmou que o projecto surge na sequência da política europeia de ordenamento marítimo e da gestão dos seus recursos, como as pescas ou as áreas marinhas protegidas. Helena Calado frisou que se pretende “perceber como é que se pode tirar o máximo proveito de cada uso num determinado espaço e se aquele pode ou não facilitar os usos marítimos”. A investigadora considerou que, no caso específico dos Açores, “haverá, eventualmente, forma de facilitar a coutilização do espaço marítimo” pela pesca, turismo, mergulho e defesa do património cultural, entre outras áreas. A re…

Tanto mar... e só um investigador de acidentes marítimos

Imagem
Gabinete de Investigação de Acidentes Marítimos esteve meses em 2016 sem Director-geral e há anos que tem falta de meios. Só na última semana aconteceram três acidentes graves.

Portugal tem a terceira maior Zona Económica Exclusiva da União Europeia. São cerca de 19 vezes o tamanho da área terrestre, mas o Gabinete de Investigação de Acidentes Marítimos do país tem funcionado com falta de meios. O último relatório desta entidade, dependente do Ministério do Mar, referente ao primeiro semestre de 2016, recorda que "o transporte marítimo funciona 24 horas por dia, de forma ininterrupta, e que os acidentes neste sector podem acontecer a qualquer altura", mas o gabinete não tem o mapa de pessoal completo nas funções de investigação. É preciso mais pessoal e o objectivo é "dispor de uma equipa de investigação 365 dias por ano". Várias fontes adiantam que o gabinete funciona há muito tempo com apenas um investigador, mas além desta falta esteve vários meses de 2016, em difer…

Subida do nível do mar poderá ser mais rápida

Imagem
O aumento do nível do mar até ao final do século poderá ser mais rápido do que o previsto, adverte a agência Oceânica norte-americana, alertando para um risco acrescido de inundações devastadoras.

O aumento do nível do mar até ao final do século poderá ser mais rápido do que o previsto, adverte a agência Oceânica norte-americana, alertando para um risco acrescido de inundações devastadoras se acontecer um cenário extremo. Tendo em conta os últimos estudos e observações, nomeadamente sobre o gelo da Antártida e a sua instabilidade, a Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA) considera “plausível” um aumento do nível das águas “de 2 a 2,7 metros até 2100”. Os autores do relatório da NOAA recomendam “rever em alta o cenário extremo da subida do nível médio do mar de 2,5 metros até 2100” previsto num relatório publicado em 2014. Robert Kopp, professor na Universidade Rutgers, precisou em declarações à agência France Presse que uma subida daquela amplitude poderá acontecer com “o pi…

Detectada mancha de poluição com 126 hectares

Imagem
A Força Aérea portuguesa informou em comunicado, que foi descoberta uma nova mancha de poluição no mar, entre Portugal e Espanha, provocada pela lavagem de tanques de um navio petroleiro. A mancha de poluição tem a extensão de 126 campos de futebol e foi detectada a noroeste da costa continental portuguesa, apesar de se situar sobretudo em águas espanholas. O porta-voz da Força Aérea, o coronel Rui Roque, explicou que ainda não são conhecidos os componentes da mancha de poluição mas que não há risco da mancha atingir as zonas costeiras dos dois países. A mancha parece deslocar-se cada vez mais para norte (Espanha), devido às correntes marítimas. A Força Aérea e a Marinha portuguesas receberam o alerta no início do ano passado e enviaram uma aeronave — equipada com sensores para a detecção e avaliação de poluição marítima — até ao local para avaliar a mancha de poluição. O Centro de Reconhecimento e Vigilância e Informações da Força Aérea recebeu, no dia 23 de Janeiro de 2017 um reporte d…

Morreu o oceanógrafo Mário Ruivo

Imagem
O Biólogo e especialista em oceanografia Mário Ruivo morreu aos 89 anos. Biólogo formado pela Universidade de Lisboa, Mário Ruivo especializou-se em Oceanografia Biológica e Gestão dos Recursos Vivos na Universidade de Paris – Sorbonne. Considerado um cientista e político pioneiro na defesa dos oceanos e no lançamento das temáticas ambientais em Portugal. Mário Ruivo foi presidente da Comissão Oceanográfica Intersectorial do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, presidente do Conselho Nacional do Ambiente e do Desenvolvimento Sustentável e presidente do Comité para a Comissão Oceanográfica Intergovernamental da UNESCO. Entre 1995 e 1998 foi coordenador da comissão mundial independente para os oceanos e ainda conselheiro científico da Expo'98. Entre outros cargos foi ministro dos Negócios Estrangeiros em 1974-75, secretário de Estado das Pescas, Director-geral dos Recursos Aquáticos e Ambiente do Ministério da Agricultura e Pescas (1975-1979) e presidente da Comissão…

A globalização do peixe

Imagem
Os ovos vêm da Noruega, o salmão cresce na Escócia, será defumado na Polónia ou cortado em filetes na China. Selvagem ou de cativeiro, o peixe globalizou-se como nunca devido a uma concentração inédita da indústria pesqueira e de uma explosão da aquicultura. No site chinês de comércio electrónico Alibaba, com apenas alguns cliques pode-se comprar três toneladas de filetes de cavala norueguesa enviada do porto de Qingdao (leste da China). A entregá estará disponível em 45 dias. A China e os cargueiros frigoríficos gigantes desempenham um papel fundamental nesta industrialização mundial do peixe. Primeiro exportador de produtos pesqueiros e primeiro produtor de peixes de cativeiro do mundo, o país é também um grande importador. “Há, efectivamente, uma quantidade significativa de peixes congelados enviados à China unicamente para o corte de filetes, para o que se aumenta a sua temperatura, sem chegar à descongelação total”, disse à AFP uma fonte do sindicato de importadores e exportadores d…

Surf nocturno? Sim, no Cabedelo, já no próximo ano.

Imagem
Na Figueira da Foz está a nascer a primeira e, até ver, única praia com iluminação artificial, preparada para permitir surf nocturno.
A partir do próximo ano, a praia do Cabedelo, na Figueira da Foz, onde, ainda antes de Peniche, se realizava o circuito mundial do Surf, vai estar preparada para a prática nocturna da modalidade. Toda a zona costeira, na margem esquerda da foz do Mondego vai ser intervencionada e, no paredão, que entra mar adentro serão colocadas quatro torres de iluminação. O surf nocturno passa a ser possível numa área equivalente a um campo de futebol. "Desde sempre que nos deparámos com o problema do surf acabar quando o sol se põe, e deparámo-nos com a ideia de prolongar o surf pela noite dentro", denota Eurico Gonçalves, surfista e professor de surf, que assegura ainda que para surfar a onda, noturna, vão chegar mais amantes da modalidade. E, sendo à noite, e dependendo o surf da luz, há cuidados extra. "À noite é sempre mais complicado, mas o projecto…

PSA International cresceu 5,5%

Imagem
A PSA International movimentou 67,6 milhões de TEU em 2016, mais 5,5% do que no ano anterior. O crescimento foi suportado exclusivamente pelos mercados internacionais.

De facto, a movimentação de contentores no terminal de Singapura estagnou (-0,1%), tendo fechado o ano passado com 30,59 milhões de TEU. Já nos terminais internacionais, os 37 milhões de TEU registados pela PSA representaram uma subida de 10,6% em relação a 2015.
A companhia não detalhou a performance dos seus cerca de 40 terminais, em 16 países, um pouco por todo o mundo.
“2016 foi outro ano difícil para o sector marítimo-portuário. Tivemos de lidar com um comércio mundial escasso, uma procura débil do transporte por contentor, uma sobrecapacidade de oferta e baixos preços médios dos fretes”, lembrou, citado pela assessoria de imprensa, o CEO da PSA International.
Sobre 2017,  Tan Chong Meng admitiu que a conjuntura se manterá “difícil” para o sector. E alertou para as mudanças que ocorrerão, em resultado da convergência d…

Surfista é salvo após 16 horas à deriva no Oceano Pacífico.

Imagem
Um surfista passou por horas de apuros no Oceano Pacífico na última sexta-feira, em Sydney, na Austrália. Um japonês, cujo nome não foi revelado, agarrou-se a sua prancha e tentou remar por seis horas até que perdeu as forças e ficou flutuando afastado da costa por mais dez horas. As informações são do portal “Daily Mirror”, do Reino Unido. A princípio, o banhista estava a 6km da costa, mas foi levado a mais de 80km da Bulli Beach, no sul de Sydney. O homem decidiu flutuar sobre sua prancha até que encontrou ajuda. um navio o encontrou na sexta-feira pela manhã porque a tripulação o viu no meio do Pacífico.
Segundo o homem, grandes ondas o afastaram da costa. A polícia afirma que o japonês, de 37 anos, recebeu comida e roupa seca depois de capturá-lo no mar. Mesmo assim, o porta-voz da polícia contou que o homem estava aparentemente tranquilo após correr risco de morte. “A maioria das pessoas que se desespera nessa situação morre”, disse ele. “Nós não podíamos acreditar. Ele estava lá fo…

Português descobre primeiro réptil marinho do Atlântico

Imagem
O paleontólogo Octávio Mateus, único português em expedições paleontológicas à Gronelândia, anunciou este sábado a descoberta de fósseis de plesiossauro, um réptil marinho que testemunha a primeira incursão no mar durante abertura do Atlântico há 200 milhões de anos. O anúncio este mês num congresso científico pelos investigadores Jesper Milan, Octávio Mateus, Lars Clemmensen e Marco Marzola, validou a descoberta do “plesiossauro mais antigo da Gronelândia, com cerca de 200 milhões de anos, e dos primeiros animais marinhos a explorar aquela zona” no início da separação dos continentes europeu e norte-americano, que resultou na abertura do Oceano Atlântico, afirmou à agência Lusa o português. O Professor da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa e investigador do Museu da Lourinhã, que em 2012 e já este ano integrou expedições internacionais à Gronelândia, explicou que os cientistas tinham escavado apenas animais de “ambientes terrestres” do Triásico, com 220 m…

Já nasceu o primeiro museu aquático da Europa

Imagem
O escultor britânico Jason Taylor deCaires criou o primeiro museu aquático da Europa, em Lanzarote. Para além de promover a economia, o projecto vai ajudar a vida submarina.  Nasceu o primeiro museu aquático da Europa, em Lanzarote, pelas mãos do escultor britânico Jason Taylor deCaires. O projecto consiste em 12 instalações e mais de 200 figuras humanas moldadas em tamanho real, instaladas de 12 a 14 metros debaixo de água. O objectivo da ideia é promover a consciência ambiental e provocar uma mudança social. As esculturas têm, ainda, uma função muito importante: vão servir de recife artificial e promover a vida marinha. Vai também promover a economia do país, nomeadamente pela atracção turística de mergulho. Depois das estátuas criadas, surge a instalação: uma equipa de mergulho e os próprios residentes locais, ou até visitantes, envolveram-se na instalação das estátuas no meio do oceano.






Sines garante recorde de cargas nos portos do Continente

Imagem
Nos primeiros 11 meses do ano findo, o movimento de cargas nos portos do Continente cresceu 4,1% em termos homólogos até ao recorde de 85,4 milhões de toneladas, anunciou a AMT. Sines garantiu 46,8 milhões de toneladas. Além do porto algarvio só a Figueira da Foz cresceu.
Um recorde é um recorde, e assim sendo pode dizer-se, sem receio de desmentidos, que nunca os portos nacionais movimentaram tantas cargas. Mas a Autoridade da Mobilidade e dos Transportes, que dá a boa noticia, também alerta para os “limites” desse recorde. Desde logo, porque o recorde é (quase) exclusivo de Sines, com um crescimento homólogo de 16,1% e uma quota de mercado que já vai nos 54,8% (mais 5,5 pontos percentuais que no inicio de 2016). Mas também, sublinha a AMT, porque mesmo os números de Sines são muito alavancados pelo tráfego de contentores de transhipment (que valem quase 80% dos movimentos no Terminal XXI) e tiveram a “ajuda” da inoperância da monobóia de Leixões (entre Março e Outubro), que desviou os…

Milhares de "Ovos Kinder" deram à costa na Alemanha

Imagem
Milhares de brindes do "Ovo Kinder" deram à costa numa ilha alemã. Não se sabe como ou porquê, apenas que aconteceu e que se transformou num evento pascal fora de época. A Polícia alemã informou no Twitter, que a praia da Ilha de Langeoog, na Alemanha, tinha sido invadida por milhares de "ovos de plástico".


De acordo com a imprensa alemã, as cápsulas continham brinquedos e ocuparam vários quilómetros do areal. Apesar de o chocolate não estar presente, os objetos são brindes do "Ovo Kinder" e as autoridades denominaram o acontecimento, num comunicado de imprensa, como "Páscoa em Langeoog". A polícia afirmou à Comunicação Social que os "ovos" contêm inscrições russas no interior e que devem ter caído de um barco durante uma tempestade na altura do Natal. Uwe Garrel, presidente de Langeoog, organizou a recolha das cápsulas, com o objetivo de impedir que estas chegassem ao mar e representassem um risco para a vida animal. Garrel decidiu ainda pe…

Mancha que atingiu mar do Algarve já foi limpa

Imagem
A remoção dos resíduos envolveu mais de 500 pessoas, muitas delas voluntárias. Terminou hoje a operação Mar Limpo, que retirou do mar do Algarve cerca de 90 toneladas de óleo vegetal no estado sólido. Os trabalhos de remoção da substância poluente começaram dia 5, depois de ter sido avistada uma mancha de vinte quilómetros que atingia as praias das ilhas da Armona, Culatra e Deserta. Face à grande quantidade e uma vez que se encontravam afectadas as áreas de duas capitanias, foi activado o Plano Mar Limpo, que prevê o envolvimento de elementos da Marinha e da Autoridade Marítima de todo o Algarve.  A remoção dos resíduos envolveu mais de 500 pessoas, muitas delas voluntárias. A capitania do Porto de Olhão já deu início a uma investigação para encontrar os responsáveis pelo despejo destes resíduos no mar. Entre as hipóteses de investigação está a possibilidade de ter havido um despejo por um navio que tenha passado ao largo da costa algarvia. Fonte: Ionline

Vela: Coville arrasa o recorde da volta ao mundo em solitário

Imagem
Thomas Coville, o skipper do Sodebo Ultim', cruzou neste domingo, às 16h57, ao largo de Ouessant (Bretanha), a "linha de chegada" da volta ao mundo em vela em solitário, totalizando uma jornada de 49 dias, 3h07m38s e pulverizando o anterior máximo, que vigorava desde 2008 e tinha sido alcançado por Francis Joyon.
O velejador francês, que partiu de Brest a 6 de Novembro, ultrapassou a linha virtual de chegada com oito dias de avanço sobre o recorde anterior (57 dias, 13h34m06s). Pode dizer-se que, para Coville, à quinta foi de vez, já que em duas das quatro tentativas anteriores abandonou (2008 e 2014) e nas restantes falhou o recorde (2009 e 2011).
Depois do canadiano Joshua Slocrum, em 1895, foram vários os "aventureiros" que aceitaram o desafio de tentar uma volta ao mundo à vela, mas a verdade é que o percurso acabou por ser feito em diferentes registos: houve velejadores em solitário mas com escala, voltas ao mundo sem escala mas com tripulação e viagens em s…