segunda-feira, 10 de junho de 2024

Estudo revela dados positivas sobre a Amónia.


Um novo estudo sugere que reduções de GEE - Gases de efeito estufa até 61% com o uso de amónia como combustível marítimo, dependendo da tecnologia marítima empregada para o efeito. 

Este valor é comparado com as emissões dos actuais combustíveis navais à base de petróleo, medidas a partir do ponto de origem. O estudo foi realizado pela Sphera, fornecedora de software de gerenciamento de risco e desempenho ambiental, social e de governança (ESG), dados e serviços de consultoria, para a SGMF - Society for Gas as a Marine Fuel conduzido de acordo com a ISO - Organização Internacional de Padronização. 

Também foi revisto por um painel de especialistas académicos independentes de instituições da França, Alemanha e EUA.

O relatório de 134 páginas utiliza os dados primários mais recentes para avaliar todos os principais tipos de motores marítimos e fontes globais de fornecimento com dados de qualidade fornecidos por fabricantes de equipamentos originais, incluindo Wärtsilä, Winterthur Gas & Diesel & MAN Energy Solutions, mas também Yara Clean Ammonia, e BASF do lado da oferta. 

As emissões de GEE provenientes das cadeias de abastecimento, bem como as emissões libertadas durante o processo de combustão a bordo, foram incluídas na análise.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Investigador do MARE lança livro sobre a biologia do polvo

O investigador do MARE Rui Rosa é o editor principal, do recentemente lançado livro “Octopus Biology and Ecology” (Academic Press, Elsevier)...