sábado, 20 de janeiro de 2018

Jorge d’Almeida: «Se tudo funcionasse tão bem como o sistema portuário…»



Na sessão de apresentação da 8.ª edição do LEME – Barómetro da PwC para a Economia do Mar, liderada ontem por Miguel Marques (PwC) no Pavilhão do Conhecimento, Jorge d’Almeida foi uma das ilustres personalidades ligadas ao mar a ter oportunidade de dar o seu ponto de vista sobre a forma como vê a evolução da Economia do Mar em Portugal.
Desafiado a tecer alguns comentários sobre as áreas que tão bem domina – o shipping e os portos -, Jorge d’Almeida defendeu que uma das grandes oportunidades para o nosso país passa por criar um hub de referência do shipping mundial. «As empresas não têm de estar onde estão os navios», vinca Jorge d’Almeida, lembrando que devemos potenciar Portugal nesta área, não só pela sua ligação ao mar mas também por ser um «sítio agradável para viver» ou por ter «custos muito competitivos». «O principal entrave é mesmo a barreira fiscal, mas penso que estamos finalmente a resolver isso», acrescentou ainda o especialista.
Ora, Miguel Marques (PwC) aproveitou a introdução deste tema para recordar o trabalho que tem vindo a ser feito na dinamização do Registo Internacional de Navios da Madeira, vincando que este é um exemplo de «uma área na qual podemos ser um hub mundial».
Ainda neste campo de oportunidades, Jorge d’Almeida recordou a recente visita à China de uma comitiva portuguesa, liderada pela Ministra do Mar, na qual esteve presente. E, em jeito de balanço, admitiu que os trabalhos correram manifestamente bem e mostrou esperança de que a iniciativa servirá para colher frutos em diversas áreas da Economia do Mar.

Muitos elogios para os portos e para quem os tem liderado


Já sobre os portos nacionais, Jorge d’Almeida vincou que é das áreas que «melhor correm em Portugal» – algo que, na sua opinião, se deve muito «às pessoas que estiveram à frente dos portos nos últimos anos».
Lembrando que «não há nenhum porto português que não tenha crescido nos últimos anos», Jorge d’Almeida concluiu de forma esclarecedora: «Se tudo funcionasse tão bem como o sistema portuário…».
Porém, a verdade é que as várias edições do LEME têm deixado claro que nem todas as áreas do mar estão a ser devidamente aproveitadas no nosso país. E, no certame desta quinta-feira, a PwC questionou os participantes em relação ao aproveitamento do país de todo o potencial do seu mar. As respostas foram claras: 97% dos que estiveram presentes responderam que NÃO fazemos o devido aproveitamento do nosso mar!

Sem comentários:

Enviar um comentário