sábado, 8 de julho de 2017

"O surf foi o desporto que mais evoluiu em Portugal, depois do futebol"

Nic Von Rupp acredita que o surf nacional está em constante crescimento e, em entrevista ao Desporto ao Minuto, diz acreditar que não ficará por aqui. Quanto aos planos para o futuro, o atleta português fala de um... "triângulo amoroso".


Nick Von Rupp considera que o surf é o desporto que mais cresce em Portugal, não só em termos técnicos mas como também a nível mediático.  
o surfista enumerou os nomes que têm elevado o surf português além fronteiras, falou das "maravilhas" que o deixam cada vez mais rendido ao país que o viu nascer e revelou quais os planos para o futuro. 
Num continente onde o futebol reina, como está a ser desenvolvido o surf europeu?
Há países em que o surf ainda não está muito desenvolvido, como o caso da Alemanha e a Suécia, que poderão ter surfistas de topo nos próximos anos. Tudo graças à construção de piscinas com ondas, que ajudarão os atletas a evoluírem. Daqui a uns tempos poderemos ter surfistas de qualidade sem nunca terem estado no mar. Poderemos ter uma revolução no surf.
E em Portugal?
Agora, com os campeonatos que se disputam em Portugal, tudo melhorou. Para além disso somos o país europeu que recebe mais competições internacionais, à frente dos Estados Unidos por exemplo. De acrescentar ainda que os campeonatos nacionais estão muito bem estruturados. Posso dizer que o surf foi o desporto que mais evoluiu em Portugal, depois do futebol. No entanto, o nosso país é pequeno e há pouco investimento e poucos praticantes da modalidade
Conseguiremos ter um surfista português no topo mundial nos próximos anos?
Nós já temos, não é dada é a devida atenção mediática... Por exemplo, o Alexandre Botelho, um surfista de ondas grandes, que, para mim, é o melhor que está a surfar ondas gigantes da Nazaré. Temos o Frederico Morais que está na ‘fórmula 1’ do surf ou até mesmo o Vasco Ribeiro, que foi vice-campeão do mundo de juniores… estamos rodeados de grandes talentos
E qual é para ti, além de Frederico Morais, o surfista que agora está mais em voga em Portugal?
Em Portugal temos vários e, para além disso, os surfistas têm momentos. Isto no surf não é como um campo de futebol, onde a tua performance por vezes depende da equipa onde te inseres. No surf está dependente do mar, do clima... Existem vários fatores que afetam um surfista. Contudo, tenho de dizer que o Vasco Ribeiro, que foi campeão do mundo de juniores há três anos, é um surfista que tem estado em grande forma no surf nacional
O que é necessário para um atleta singrar no surf?
Qualquer carreira de um surfista é feita de altos e baixos. Se olharmos para o famoso Kelly Slater vimos que passou mais tempo a perder do que a ganhar. Nas competições é difícil mostrar o teu melhor surf em apenas 25 minutos. Temos sempre o fator X, que é o mar. Acima de tudo, é preciso ter sorte neste desporto
Para terminar, o que pretendes ainda conquistar nesta modalidade?
Se um psicólogo ouvir o que vou dizer dá-me um tiro [risos]. Bem, como já referi, o mais importante não é propriamente a competição. Eu tenho um triângulo amoroso: surfar, manter a forma física e ser feliz com o que faço. Por exemplo, ainda no outro dia vi que havia uma boa ondulação no Taiti e arranquei para lá. Quando cheguei a Portugal estive cá 12 horas e parti novamente, desta vez para a outra ponta do mundo, a Indonésia. Mas, como é claro, gostaria de continuar a ganhar campeonatos
E quando já não tiveres ‘pernas’ para prosseguires a prática do Surf, qual será a próxima etapa na tua vida?
Eu tenho imenso prazer de receber pessoas no nosso país, fartei-me de viajar e de dar a conhecer Portugal, numa altura em que não estava na moda. Quando dizia que era de Portugal, muitas das pessoas não sabiam onde ficava ou perguntavam mesmo de se fazia parte de Espanha. Eu dizia que ‘Portugal é um país brutal, tem história, tem cultura, é seguro e tem belas praias. Mas pronto, hoje em dia isso é diferente e toda a gente passou a conhecer as maravilhas deste país e eu fico contente. Como se pode ver, eu gostaria de me envolver em projectos ligados ao turismo.

Sem comentários:

Enviar um comentário