sexta-feira, 16 de junho de 2017

Surf. Morreu Jack O’Neill, inventor do fato de surf


Um verdadeiro ícone no mundo do surf, o norte-americano Jack O’Neill morreu aos 94 anos, de causa naturais, segundo informou a sua família em comunicado, na sua casa em frente ao mar em Santa Cruz, na Califórnia. Conhecido pela sua imagem de marca – uma pala no olho esquerdo, que usava desde que teve um acidente a surfar em 1971 – O’Neill ficou para a História por ter inventado o primeiro fato de surf em 1952. Nesse ano inaugurou também em Ocean Beach, São Francisco, uma das primeiras lojas especializadas em equipamentos para a prática de surf. Com base na sua experiência enquanto piloto da Marinha dos Estados Unidos, nos anos 40, durante a II Guerra Mundial, O’Neill começou a experimentar vários materiais para que os surfistas, como ele, pudessem proteger o corpo das temperaturas mais frias do Oceano Pacífico e poderem manter-se dentro de água durante mais tempo.  Depois de vários ensaios, optou pelo neoprene (que até hoje é o principal material dos fatos de surf) usado pela Marinha americana para produzir coletes salva-vidas. Em 1959 abriu a sua segunda loja de surf em Santa Cruz e juntou ao neoprene um forro interior de nylon, já nos anos 60, tendo sido apenas na década seguinte que apresentou o seu primeiro fato completo de surf, em 1970. Acolhido pela comunidade surfista com desconfiança, rapidamente o fato completo fez sucesso no mercado, sob o mote publicitário: “É sempre verão aqui dentro”. Para promover o seu produto, corria todas as feiras e fazia exibições, vestindo os seus filhos com os fatos de neoprene e fazendo-os mergulhar em água gelada. Oriundo do estado norte-americano do Colorado, o próprio O’Neill garantiu que nem os seus amigos mais próximos acreditaram na sua invenção: “Todos eles me disseram: vais vender cinco fatos a amigos, na praia, e depois vais à falência”, contou a família. Pelo contrário, antes dos anos 80 O’Neill já se tinha tornado num dos maiores designers e produtores de fatos de surf a nível mundial e a marca com o seu nome já estava espalhada pela Austrália, Europa, Japão e outros locais do mundo. Se está a pensar que nunca tinha ouvido falar de de Jack O’Neill até agora é porque se tratava de um homem muito discreto, que raramente dava entrevistas, preferindo surfar, passear na praia ou desenvolver novos produtos na sua oficina. Dos grande ícones do mundo do surf era sem dúvida o menos falado e comentado, refere a revista Surfer no obituário, citado pelo USA Today. “Não ligo muito aos negócios, mas sim ao oceano”, disse ao jornal The San Francisco Chronicle em 2012. 

Sem comentários:

Enviar um comentário