quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

My Destiny. Mais do que surf uma missão


O que começou por ser apenas uma viagem de surf à Indonésia transformou-se num projecto que pretende mostrar ao mundo todas as componentes que envolvem a modalidade. “My Destiny é um projecto ecológico-social que tem como base a celebração de um estilo de vida, de uma cultura que reúne a escrita, a música, a fotografia, as viagens e o surf”, disse Carolina Pereira, organizadora do evento.
Em conversa com o i, a surfista de Santa Cruz, Torres Vedras, explicou que o objectivo do projecto é que “todas as viagens criem igualmente uma comunidade de viajantes que irá espalhar bandeirinhas portuguesas pelos continentes”, mas com uma condição. Ser viajante e não turista.
Com partida prevista para Setembro, a aventura, com duração de um mês, pretende ajudar associações, antes, durante e depois. Como? Através de eventos para a angariação de fundos. “Para esta viagem vamos realizar eventos e que irão reverter para a Associação de Surf Adaptado ou para o projecto transformers (vamos fazer um intercâmbio com as crianças que estão a ter aulas de surf neste projecto e juntá-las com as crianças que têm aulas de surf nas Mentawai. O depois, são as transmissões da curta-metragem sobre o trabalho que foi feito. Mas reverte sempre para as organizações do país que fomos visitar. Neste caso será para a Liquid Future”, contou-nos Carolina, de 20 anos.
Sem data marcada para o primeiro evento, as ideias já estão em cima da mesa e conta com exposições, actuações de bandas portugueses e apresentação oficial do My Destiny, que tem ainda a participação do fotógrafo Francisco Melim, bem como da embaixadora nacional e surfista Teresa Abraços e o fotógrafo californiano Chris Burkard.
Surf além da técnica Surfista desde os 13 anos, foi com a 3S Surf School (escola de surf local) que Carolina teve a sua primeira experiência na água. “O João Carvalho foi quem me mostrou que o surf era muito mais além da técnica. Ele inspirou-me muito e mostrou-me que era um estilo de vida e não apenas uma rotina de ir ali apanhar umas ondas. Foi aí que comecei a surfar”, recordou.
Dedicado ao seu mentor que, em 2011, faleceu após uma paragem cardio-respiratória, a publicação do livro “Pai, porque é que as vacas usam ténis”, tem “um cheirinho” do que será o My Destiny. “O livro é uma compilação de várias publicações que saíram em algumas revistas da especialidade. Relata as viagens que fiz de norte a sul do país, as surftrips e as experiências que fui vivendo pelo caminho”, concluiu.
As viagens podem ser acompanhadas em www.mydestiny.com.pt

Fonte: Ionline

Sem comentários:

Enviar um comentário