Mensagens

A mostrar mensagens de Setembro, 2016

Investigadores testam banda larga no mar dos Açores

Imagem
Uma equipa de técnicos do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC) concluiu hoje, com "sucesso", um conjunto de testes com banda larga no mar dos Açores.
A operação, designada por "BLUECOM+", é um projecto que visa tornar possível aceder à Internet em zonas remotas do oceano, a mais de 100 quilómetros da costa, em banda larga e com baixo custo, utilizando tecnologias como o Wi-Fi e o 4G.
"Foi um sucesso. Conseguimos demonstrar capacidade de banda larga verdadeiramente, com uma vídeo-chamada por Skype entre uma pessoa na embarcação e uma pessoa que estava em terra", sublinhou Rui Campos, investigador do INESC TEC, durante uma saída para o mar junto à costa sul da ilha do Faial. Segundo explicou, o conceito utilizado nestes testes é semelhante ao dos routers sem fios que existem na maioria das habitações no nosso país, para acesso ao Wi-Fi, que neste caso, permite a ligação entre um "hot spot" instalado num…

Do mar ao prato

Imagem
Que se pode esperar quando biólogos, chef"s e um ilustrador científico resolvem abraçar um projecto inovador e reunir em livro, com criatividade, o resultado de um profundo trabalho de investigação?

O resultado só pode ser aliciante: "Do mar ao prato - biologia, ilustração, gastronomia" -, apresentado na fortaleza de Peniche, pelo Instituto Politécnico de Leiria/Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar (IPL/ESTM) é uma ode aos recursos do mar. A obra, com 130 páginas de cuidado e apelativo grafismo e com a mais-valia da ilustração científica, alerta para a crescente necessidade da sustentabilidade ambiental e dá forte contributo para a sensibilização dos consumidores, estimulando e promovendo o consumo responsável dos recursos marinhos. O exaustivo trabalho de levantamento de 14 espécies, dá ao leitor a possibilidade de ficar a saber quase tudo sobre 11 peixes, dois crustáceos e um molusco, desde o perfil nutricional ao habit/comportamento, evolução, medidas ao estat…

Portugal é campeão nas mercadorias comercializadas por mar

Imagem
É o país da União Europeia em que os bens transaccionados internacionalmente por via marítima têm o maior valor e bem acima da média Europeia. A seguir estão Chipre, Grécia e Espanha.

Mar. Neste campeonato ganha Portugal. É o país da União Europeia em que os bens comercializados internacionalmente por via marítima têm o maior valor (81%), bem acima da média europeia de 51%. Os dados do Eurostat conhecidos agora são relativos a 2015. Nesse ano, o comércio internacional de bens por via marítima, em Portugal, representava então 81% do valor das trocas, o que coloca o país no cimo da tabela. Portugal81%Chipre80%Grécia77%Espanha74%Malta67%Itália61%

“Mar de Sines” considerado “melhor filme etnográfico” no Brasil

Imagem
Documentário, realizado por Diogo Vilhena, é um projecto municipal dedicado aos pescadores do concelho da Costa Alentejana, onde são reveladas com detalhes as dificuldades locais.


O documentário “Mar de Sines”, dedicado aos pescadores do concelho da Costa Alentejana, um projecto municipal com realização de Diogo Vilhena, venceu o prémio de “Melhor Filme Etnográfico”, no Festival Internacional do Filme Etnográfico do Recife, no Brasil. O filme retrata com grande sensibilidade, com belas fotografias e rigor técnico as transformações sociais e económicas de uma comunidade portuguesa, a cidade de Sines”, pode ler-se no site oficial do festival, em que foram divulgadas as produções vencedoras, entre as dezasseis seleccionadas de mais de 60 filmes candidatados de vários países. Em “Mar de Sines” são reveladas “com detalhes as dificuldades dos pescadores locais, através da riqueza dos seus depoimentos”, escrevem ainda os promotores do festival, que decorreu entre terça e sexta-feira, em Recife,…

Atravessar os Oceanos para compreender o Mar

Imagem
A Associação David Melgueiro quer realizar uma enorme expedição à volta do mundo.
As sardinhas fugiram, as praias estão a desaparecer, o Atlântico está a mudar. A Associação David Melgueiro, que reúne cientistas marinhos, oceanógrafos e investigadores ligados ao mar, tem veleiros a estudar a costa, mas quer montar uma expedição de volta ao mundo, com passagem pelo Ártico, para perceber as alterações climáticas. Este é o sonho de José Mesquita: entender o nosso pesadelo. O termómetro assusta: 22,4 graus. A temperatura da água do mar junto ao forte do Bugio, que marca a passagem do Tejo para o Atlântico, está 3,4 graus mais elevada do que é costume nos primeiros dias de Julho. «Há dois dias estava a 24,6», escandaliza-se José Mesquita, comandante do Anixa, um dos quatro veleiros da Associação David Melgueiro. A instituição, baseada em Peniche, reúne oceanógrafos, investigadores, biólogos marinhos e técnicos associados ao estudo do que se passa nas nossas águas. Por estes dias, as embarcaç…

Não desafie o mar revolto. A bravura pode ir-lhe ao bolso

Imagem
Os azares acontecem a qualquer um, mas antes de dar umas braçadas numa praia com bandeira vermelha, pense duas vezes. Esse mergulho pode custar-lhe muito. No máximo, uma multa daria para pagar outras férias.
Entrar no mar com bandeira vermelha içada dá direito a multa, mas será que nos lembramos disso na hora de querer refrescar o corpo de tanto sol que apanhou?
De acordo com dados da Autoridade Marítima Nacional forneceu ao Notícias ao Minuto, até ao momento foram apenas registadas 11 infracções a esta lei em todo o país, sendo a região do Algarve, dada a afluência de banhistas na época balnear, a zona onde mais se desrespeita a sinalização das bandeiras. Se recuarmos aos últimos três anos, podemos verificar que o número de multas a este respeito (que nunca foi muito elevado) tem vindo a diminuir significativamente de ano para ano. Se não vejamos: em 2013, foram passadas 41 autuações, passando esse número para 19 no ano seguinte e, em 2015, para 18. Esta é uma lei que já tem 10 anos e q…

Governo quer acelerar mineração no fundo do mar dos Açores

Imagem
Nautilus, a primeira empresa do mundo a extrair minério do fundo do mar, está em negociações com Portugal desde 2008 e quer para iniciar as actividades em 2017. Decisões do Governo só após eleições regionais de 16 de Outubro.

A primeira vez que a Nautilus Minerals entregou um pedido formal de prospecção de minério no mar dos Açores remonta a Junho de 2008. A criação do Parque Marinho dos Açores, em 2011, obrigou a empresa canadiana - prestes a assumir-se como a primeira do mundo a explorar uma mina no fundo do mar em pleno Oceano Pacífico - a reformular a proposta e, desde então, não saiu qualquer decisão definitiva das autoridades regionais ou nacionais. Mas o assunto voltou à mesa do Governo e, esta semana em Washington, a Ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, defendeu a exploração de minas em mar profundo e avançou que a intenção da Nautilus é iniciar a essa prospecção e pesquisa nos Açores já em 2017, numa altura em que está prestes a iniciar a exploração comercial de uma mina a 160…

Missão Swim Challenge: Nadar por oceanos mais limpos

Imagem
5ª edição decorre este fim de semana e traz novidades Tem pulmões para aceitar este desafio? A 5ª edição do Swim Challenge Cascais decorre já este domingo, junto à praia da Duquesa, com as novidades da prova de 3,8km com e sem fato isotérmico e a sensibilização ambiental e das alterações climáticas, um flagelo que atinge a vida marinha e todo o nosso ecossistema, pondo em risco a vida no Planeta. O programa abre no sábado com a Caminhada dos Oceanos e com uma mensagem ambiental. O Swim Challenge e a Ocean Recovery Alliance dão as mãos por uma causa; nadar na mais bela baía do mundo contra a poluição e por oceanos mais limpos. Esta Caminhada parte às 10h00 da Praia da Poça, em S. João do Estoril, e termina na Praia da Duquesa, percorrendo os 3km de Paredão Marítimo, onde será feito o alinhamento para um grande mergulho coletivo. Os caminhantes são desafiados a desfilar mascarados com o tema “Oceano”, existindo no final um concurso que elegerá como vencedoras as 3 máscaras mais originais. No…

Navio encontrado no oceano Ártico 168 anos depois

Imagem
O Terror, barco comandado pelo explorador polar britânico Sir John Franklin, partiu em 1845 para completar a famosa "Passagem do Noroeste". Só agora apareceu. Deu filmes, livros e até canções.

O HMS Terror, barco comandado pelo explorador polar britânico Sir John Franklin, foi encontrado em óptimas condições, 168 anos depois de se ter afundado junto do Árctico, a região circunscrita pelo Oceano Árctico e o Polo Norte, que se situa a norte do continente americano. Franklin embarcou em 1845 e tinha como objectivo completar a “Passagem do Noroeste”, a viagem que passa na margem mais a norte do continente americano, onde se encontram o oceano Atlântico e o oceano Pacífico. Na expedição seguiam dois navios, o HMS (Her Majesty Ship) Terror e o HMS Erebus, o navio principal da expedição, encontrado no fundo do mar em 2014. Franklin liderou a expedição que zarpou no dia 19 de maio de 1845 com 24 oficias e 110 marinheiros de Greenhithe. Todos os que embarcaram na pequena cidade costeira…